RSS

Arquivo da categoria: Búlgaros

Búlgaros no Brasil

A Bulgária (em búlgaro България, transl. Bâlgariya) é um país dos Balcãs, limitado a norte pela Roménia, a leste pelo Mar Negro, a sul pela Turquia e pela Grécia e a oeste pela Macedónia e pela Sérvia. Sua capital é Sófia. Faz parte da União Europeia desde 1 de janeiro de 2007.

História

O primeiro estado búlgaro formou-se ao final do século VII. Nos séculos seguintes, entrou em guerra contra o Império Bizantino por diversas vezes para garantir a sua existência. Porém, não logrou resistir à invasão do Império Otomano, ocorrida ao final do século XIV.

A Bulgária recuperou sua independência em 1878, como um Principado Autônomo, e sua independência total foi proclamada em 1908. Pouco tempo depois, nos anos 1912 e 1913, envolveu-se na Guerra dos Balcãs. Durante a Primeira Guerra Mundial e, mais tarde, na Segunda Guerra Mundial, combateu ao lado das nações que vieram a ser derrotadas no conflito.

Finalizada a Segunda Guerra Mundial, ficou sob a influência da União Soviética e tornou-se uma república popular em 1946. O governo comunista encerrou-se em 1990, quando o País teve eleições com a participação de diversos partidos.

A Bulgária faz parte da OTAN desde 2004 e aderiu à União Européia em 2007.

Geografia

A Bulgária é composta pelas regiões clássicas da Trácia, Moésia e Macedónia. O sudoeste do país é montanhoso e contém o ponto mais elevado da península Balcânica, o Musala, com 2 925 m. A cordilheira dos Balcãs atravessa o centro do país de leste a oeste, a norte do famoso vale das Rosas. Há regiões de planície e colinas a sudeste, ao longo da costa do mar Negro e nas margens do rio principal da Bulgária, o Danúbio, a norte. Outros rios importantes são o Struma e o Marica, no sul do país.

O clima búlgaro é temperado, com invernos frios e húmidos e verões mediterrânicos, quentes e secos.

A península Balcânica recebe o seu nome da cordilheira dos Balcãs, conhecida em búlgaro como Stara Planina, que percorre o centro da Bulgária e chega até ao leste da Sérvia.

Demografia

Lembrando do censo de 2001, A população da Bulgária é principalmente constituída por búlgaros (83.9%), com duas minorias, turcos (9.4%) e ciganos (4.7%). Dos restantes 2.0%, 0.9% são constituídos por 40 minorias, nos quais se destacam russos, armênios, valacos, judeus, tártaros e sarakatsanios (historicamente conhecidos também como caracachanos). 1.1% da população não declarou sua etnia no último censo de 2001.

96,3% da população fala búlgaro como sua língua materna. O búlgaro, faz parte do grupo de idiomas eslavos, e único idioma oficial, mas o número de falantes de outros idiomas (como o turco e romani) corresponde somente aos de origem não-búlgara.

O país tem um número de ciganos estimado entre 200.000 e 450.000.

A maioria dos búlgaros (82.6%) pertencem, pelo menos nominalmente, à Igreja Ortodoxa Búlgara. Outras denominações religiosas incluem o Islão (12,2%), várias denominações protestantes (0,8%) e o Catolicismo Romano (0.5%); com outras religiões, ateus e pessoas que não se declararam está o percentual de 4,1.

Nos anos recentes, a Bulgária teve uma das menores taxas de crescimento populacional.O crescimento negativo de população ocorreu desde os anos 1990, por causa do colapso econômico e as altas taxas de migração. Em 1989 a população era de 9.009.018 pessoas, em 2001 7.950.000 e em 2008 7.640.000. Atualmente, a Bulgária passa por uma severa crise demográfica. A Bulgária tem uma taxa de fertilidade de 1,4 crianças por mulher em 2007, com uma taxa predita de 1,7 pelo fim de 2050. A taxa de fertilidade tem de alcançar a marca de 2,2 crianças por mulher para restaurar a taxa de crescimento populacional.

Religião

De acordo com os censos de 2001 a maioria da população da Bulgária é seguidora do Cristianismo com cerca de 84% dos búlgaros a identificar-se com esta religião. A Igreja Ortodoxa é seguida por 82,6% da população, cerca 12% são muçulmanos, 1,2% seguem outras denominações cristãs e 4% seguem outras religião.

Política

Após o término da Segunda Guerra Mundial, a Bulgária ficou sob a influência da União Soviética tornando-se uma república popular em 1946. O governo comunista terminou em 1990, quando o país teve eleições com a participação de diversos partidos.

A Bulgária é membro da OTAN desde 2004 e aderiu à União Europeia em 2007.

Economia

A economia de Bulgária contraiu-se consideravelmente após 1989, com a decadência da União Soviética e, conseqüentemente, a diminuição do acesso ao mercado soviético. Durante a Guerra Fria, a economia búlgara ficou bastante dependente da URSS. O padrão de vida dos búlgaros caiu 40% em relação aos níveis pré-1990, somente retornando ao antigo patamar em junho de 2004.

As sanções económicas da Organização das Nações Unidas (ONU) à Iugoslávia e ao Iraque também prejudicaram a economia búlgara. Os primeiros sinais da recuperação da economia aconteceram em 1994, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu e a inflação caiu. Entretanto, em 1996, a economia sofreu uma crise devido às reformas econômicas e à instabilidade do sistema bancário.

Desde 1997, o país passa por um período de recuperação, com o PIB crescendo numa taxa entre 4% e 5%, propiciando uma estabilidade macroeconômica. Estas condições fizeram com que a União Europeia aceitasse o ingresso da Bulgária em 2007. O atual governo, eleito em 2001, prometeu manter os objetivos fundamentais da política econômica adoptados pelo governo anterior, em 1997. Ou seja, retendo a moeda corrente, aprofundando políticas financeiras, a aceleração das privatizações e prosseguir as reformas estruturais. Porém, o governo enfrenta ainda uma elevada taxa de desemprego e os baixos padrões de vida.

Cultura

A música tradicional da Bulgária, tal como a dança e a roupas búlgaras, varia em função da região de onde vem. Geralmente, é difícil um cantor de uma região cantar música de outra região, tendo em conta a diversidade e a variação de sons e a sua emissão específica.

As músicas retratam os acontecimentos históricos e urbanos, o que tem ajudado a “descobrir” e a estudar a história e os costumes do povo búlgaro, de há muitos anos e séculos atrás. As canções não têm autores, visto que são passadas de “boca-a-boca”, de geração em geração, e foram inventadas ao longo dos acontecimentos. Os textos das músicas, em si são como histórias, narrando problemas, “festas”, guerras, sentimentos.

Cada música tem o seu ritmo e em função do ritmo é criada a dança. Normalmente, cada região tem um ritmo e/ou a dança específicas. Mas algumas das danças são gerais e dançadas pelo país inteiro.

As danças constituem movimentos complicados, que, muitas vezes, confundem os turistas. A maior parte das danças podem ser interpretadas por centenas de pessoas, tal como nos Recordes de Guinness, a maior dança coletiva foi considerada a búlgara, dançada por mais de 15 000 pessoas em conjunto, de mão dada, na capital, na noite de um feriado.

Fonte:http://bulgarosnobrasil.org/

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/03/2012 em Búlgaros