RSS

Arquivo mensal: setembro 2012

Diretores russos chegam aos palcos de São Paulo

“O voo de um único pássaro é belíssimo, mas o de uma revoada é mágico.” Essa é a metáfora encontrada pelo russo Jurij Alschitz para descrever o poder do teatro de grupo, endossada por seu conterrâneo Adolf Shapiro.

Ambos são encenadores aclamados e tiveram como mestres ex-alunos de Constantin Stanislávski (1863-1938), um dos maiores nomes da história do teatro, criador do método de atuação que há mais de um século é referência na cena mundial.

Coincidentemente, esses diretores estreiam, nesta semana em São Paulo, trabalhos com dois grupos de teatro do Brasil formados apenas por atores.

Alschitz apresenta “Eclipse”, montagem do Grupo Galpão baseada na obra de Anton Tchékhov (1860-1904).

Shapiro monta “Pais e Filhos”, adaptação do livro homônimo de Ivan Turguêniev (1818-1883), realizada pela Mundana Companhia.

Como o Galpão, que completa 30 anos, a Mundana pensa o intérprete como criador, elegendo diretores diferentes para cada projeto.

“Nosso coletivo é formado por atores autônomos”, explica Luah Guimarãez. A atriz fundou a Mundana em 2008, na ocasião da montagem de “O Idiota”, que teve direção de Cibele Forjaz.
Os dois grupos optaram por trabalhar com os russos para se aprofundarem nas pesquisas sobre o universo da atuação.

“Nossa geração vem de uma tradição de criação coletiva que por muito tempo se desocupou da interpretação para ocupar-se da totalidade da encenação”, acredita Sergio Siviero, da Mundana.

Em “Pais e Filhos”, o ator vive o niilista Bazárov, que, ao lado do amigo Arkadi, trava um embate de ideias com a geração que o antecede.

Lenise Pinheiro/Folhapress
A atriz Inês Peixoto em cena da peça "Eclipse"
A atriz Inês Peixoto em cena da peça “Eclipse”

RENOVAÇÃO

Com “Eclipse”, o Galpão parte em busca de um teatro mais introspectivo e dá uma guinada em sua trajetória marcada por espetáculos de linguagem popular.

A imersão em Tchékhov começou em 2009, com “Moscou”, documentário de Eduardo Coutinho que retrata ensaios de “As Três Irmãs”.

O segundo projeto foi a versão de “Tio Vânia”, dirigida por Yara de Novaes.

“Eclipse” fecha a trilogia. A peça é baseada em contos do autor. Por meio de uma estruturada fragmentária, nova para um grupo habituado a fábulas, apresenta reflexões filosóficas sobre caos, talento e fé, entre outros temas.

“Estamos acostumados a uma interpretação mais exteriorizada. O trabalho, difícil para a gente, foi justamente o oposto: trabalhar com energias internas, nem sempre perceptíveis”, explica Chico Pelúcio, do Galpão.

Tanto Alschitz como Shapiro buscaram renovar a arte da atuação. “Quis revolucionar o Galpão, fazer com que os atores esquecessem que são considerados grandes intérpretes”, diz Alschitz.

Shapiro defende que a atuação nunca é solitária, mas parte de um jogo estabelecido no palco.

“Terminada uma cena, se o ator só lembrar de sua interpretação, é sinal de que não fez um bom trabalho. Ele deve se lembrar do intérprete com quem contracenou. É preciso estar aberto ao outro”, ensina o diretor.

“Shapiro nos tira do lugar de um ator diante de um grande papel para nos colocar em cena como grandes jogadores”, sintetiza Lúcia Romano, da Mundana.

ECLIPSE
QUANDO qui., sex. e sáb., às 21h; dom., às 18h; de hoje a 14/10
ONDE Sesc Vila Mariana (r. Pelotas, 141; tel. 0/xx/11/5080-3000)
QUANTO R$ 24
CLASSIFICAÇÃO 12 anos

PAIS E FILHOS
QUANDO sex. e sáb., às 21h; dom., às 19h; de 29/9 a 11/11
ONDE Sesc Pompeia (r. Clélia 93; tel. 0/xx/11/3871-7700)
QUANTO R$ 20
CLASSIFICAÇÃO 16 anos

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/09/2012 em Notícias, Russos

 

Brasileiros se solidarizam com povo da Síria

O embaixador da Síria no Brasil, Mohammed Khaddour, e o seu Cônsul Geral, Ghassan Obeid, estiveram em São Paulo, dia 4 de setembro, para participar de atividades de solidariedade à Síria. Os movimentos sociais e árabes se solidarizaram com o povo sírio na defesa da paz e contra a intervenção estrangeira no país. Para as lideranças, a mídia esconde que o conflito é alimentado por mercenários fundamentalistas financiados pela Arábia Saudita, Turquia e Qatar, países aliados dos EUA e de Israel.

Fonte: http://www.vermelho.org.br/tvvermelho/noticia.php?id_noticia=194271&id_secao=29

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/09/2012 em Notícias, Sírios

 

Investidores do Reino Unido chegam a São Paulo em busca de oportunidades de negócios e parcerias

Os diferenciais competitivos do Estado, os serviços oferecidos pela Investe SP e as oportunidades de parcerias público-privadas (PPP) foram os destaques nas boas-vindas à delegação britânica

 

Um café da manhã tipicamente britânico com direito a uma vista panorâmica da região da avenida Paulista, em São Paulo. Foi assim que começou o evento de boas-vindas ao grupo de mais de 100 britânicos que desembarcaram nesta quarta-feira, 26 de setembro, em São Paulo como parte de uma missão promovida pelo governo do Reino Unido. São empresas e universidades que vieram buscar parcerias no País.

Na abertura do evento, o Ministro Adjunto de Comércio e Investimentos do Reino Unido, Lorde Green of Hurstpierpoint, ressaltou as grandes oportunidades existentes no Brasil, principalmente na área de infraestrutura.

“Sem dúvida, é a maior delegação britânica que já esteve aqui”, ressaltou o cônsul britânico em São Paulo, John Doddrell, que também é diretor da UKTI Brasil, agência de comércio e investimento do Reino Unido.

O Diretor de Investimentos e Negócios da Investe SP, Hans Schaeffer, apresentou os diferenciais competitivos do Estado de São Paulo e os serviços oferecidos pela agência. “Há, em especial, quatro setores estratégicos nos quais os investidores britânicos poderão contribuir com o Estado de São Paulo: petróleo e gás; aeroespacial e defesa; saúde e ciências da vida; e economia verde”, destacou Schaeffer.

Houve também um relato de caso da JCB, uma das empresas assessoradas pela Investe SP e que inaugurará sua fábrica em Sorocaba nesta quinta-feira. O gerente da empresa, Sidney Matos, falou sobre os desafios enfrentados para instalar a empresa no País, elogiando o comprometimento dos funcionários brasileiros e sua disposição para cooperar.

“Queremos também estimular as PPPs no Estado”, finalizou o diretor. Após o café da manhã, parte da delegação britânica dirigiu-se ao Palácio dos Bandeirantes, onde ocorreu uma mesa redonda sobre PPPs com o vice-governador Guilherme Afif e da qual participaram o presidente da Investe SP, Luciano Almeida, e o gerente de Relações Institucionais e Internacionais da agência, Wilson Soares.

Além de Green, a missão também é liderada pelo Ministro de Ciência e Ensino Superior, David Willets, e pelo Ministro de Relações Exteriores, Hugo Swire.

Fonte: http://www.investe.sp.gov.br/noticias/lenoticia.php?id=17100&c=6&lang=1

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/09/2012 em Notícias

 

Cumprimento de penas por presos estrangeiros será acompanhado pelo CNJ e MJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Ministério da Justiça (MJ) firmaram nesta terça-feira (25/9) termo de cooperação para a realização de estudos e troca de informações sobre a situação de estrangeiros presos nas penitenciárias brasileiras. A parceria prevê a implantação de um cadastro nacional de presos estrangeiros, a ser alimentado pelas autoridades judiciais e policiais.

O objetivo é criar condições para que estrangeiros condenados no Brasil possam cumprir as penas em seus próprios países. “Se a pena restritiva de liberdade é algo doloroso, imagina o que significa cumprir pena num país que não é seu país”, comentou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Devido à distância, os estrangeiros ficam impossibilitados de receber visitas, sofrem com a inadequação ao meio cultural e também enfrentam a barreira da língua – muitos não falam português.

Para Cardozo, o cumprimento de pena em outro país afasta a possibilidade de ressocialização do preso, objetivo do direito moderno. Luciano Losekann, juiz auxiliar da Presidência do CNJ e coordenador do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e de Execução de Medidas Socioeducativas do CNJ (DMF/CNJ), disse que o afastamento do país de origem impõe ao preso estrangeiro uma espécie de sobrepena: além da restrição da liberdade, ele é afastado de seu meio, o que dificulta sua reinserção social.

Losekann explicou que várias sugestões foram colhidas durante os seminários realizados pelo CNJ em parceria com o MJ, em março (em São Paulo) e junho (no Rio). Desde então, o CNJ e o Departamento de Estrangeiros da Secretaria Nacional de Justiça vêm trabalhando na incorporação das sugestões, entre elas o cadastro.

O sistema de informática para o cadastro de presos estrangeiros foi desenvolvido pelo CNJ e será operado pelo MJ. Segundo Losekann, haverá umlink na página do CNJ que levará o interessado ao cadastro. Ele informou que o conselheiro Fernando da Costa Tourinho Neto, do CNJ, está preparando uma proposta de resolução do Conselho que determine aos magistrados o registro, no cadastro, das informações sobre presos estrangeiros. As prisões e condenações de estrangeiros devem ser comunicadas também às embaixadas e aos consulados do país de origem do preso.

Fonte:http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/21335-cumprimento-de-penas-por-presos-estrangeiros-sera-acompanhado-pelo-cnj-e-mj

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/09/2012 em Notícias

 

Imigração de trabalhadores legais aumenta 25% ao ano

Número de autorizações permanentes dobrou no 1º semestre de 2012 em relação a igual período de 2011.

Crise externa e carência de mão de obra especializada – especialmente em construção pesada, tecnologia da informação e petróleo, óleo e gás – se combinaram para fazer o Brasil voltar a ser destino de imigrantes em busca de emprego.

O número de vistos de trabalho cresceu 26% em 2011 em relação a 2010, ano que já havia superado o anterior em 30,51%. No primeiro semestre deste ano, em relação a igual período do ano passado, o incremento foi de 24%.

Os dados, naturalmente, não consideram os imigrantes ilegais, que chegam para ocupar postos de trabalho em situação precária, como em confecções – por exemplo, na região central de São Paulo, de onde surgem denúncias de condições análogas à escravidão – e na lavoura, especialmente no Centro-Oeste, para onde vão trabalhadores que cruzam a fronteira.

Chama a atenção o recente incremento na concessão de autorizações permanentes. O número mais do que dobrou neste primeiro semestre, em relação a igual período do ano passado.

A expansão foi de 106,77%, muito acima do aumento de 17,75% contabilizado pelos temporários. No consolidado de 2011, a ampliação de permanentes foi de 49,47%, contra 24,79% de temporários.

Outro aspecto notável é o avanço da participação de mulheres no contingente de estrangeiros que conseguem autorização para atuar no país: 37,46% em 2011, quando fluxo de homens subiu 24,7%, e 41% em 2010, contra 29% dos trabalhadores do sexo masculino.

Nos primeiros seis meses deste ano, o índice foi de 31,4%, puxando a média, já que o incremento no contingente de homens foi de 23,27%.

Os países que mais enviam profissionais para o Brasil são Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Argentina e Colômbia. A região que mais recebe imigrantes é o Sudeste.

No ano passado, dos cerca de 70 mil trabalhadores estrangeiros – com autorização permanente ou temporária -, 12 mil tiveram como destino o Rio de Janeiro. Cerca de metade (6.890) seguiram para São Paulo. Minas Gerais ficou com 1.034 e Paraná, com 402.

“As contratações de estrangeiros estão voltadas para obras de infraestrutura, exploração do Pré-Sal, Olimpíadas e Copa do Mundo, além de serviços financeiros e a continuação da chegada de investimentos estrangeiros”, diz Ugo Barbiere, sócio-diretor da empresa de gestão de capital humano Horton International.

“Algo entre 5% e 20% das empresas brasileiras ou multinacionais têm recrutado estrangeiros para seu quadro de pessoal. Exemplos clássicos de companhias que sofrem com déficit de mão de obra técnica são Petrobras e Embraer.”

Procurada pela reportagem, a Petrobras informou que “o ingresso na companhia se faz por processo seletivo público aberto a brasileiros”.

Fonte: http://www.brasileconomico.ig.com.br/noticias/imigracao-de-trabalhadores-legais-aumenta-25-ao-ano_121664.html

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/09/2012 em Notícias

 

Imigrantes farão votação simbólica para Prefeito de SP

Imigrantes reivindicam direito ao voto nas eleições brasileiras com ato político dia 29/09

Cerca de 15 entidades sociais e grupos culturais de imigrantes que residem em São Paulo-Capital realizarão um ato público dia 29/09, na Rua Coimbra / próximo do metrô Bresser (de grande concentração sulamericana), às 15h. São esperados imigrantes de ao menos 9 nacionalidades no ato.

Somente em São Paulo cerca de 300 mil pessoas não participam da eleição, pois há uma vedação na Constituição. Há uma Emenda Constitucional tramitando no Congresso que pode mudar essa situação e permitir que mais de 1,5 milhões de pessoas no Brasil nessa condição, possam exercer o direito de votar ou ser votado.

Segundo panfleto assinado pelas entidades os imigrantes alegam que “A luta pelo voto universal faz parte de uma Campanha mundial: AQUI VIVO, AQUI VOTO ! Aqui moramos, pagamos impostos, ajudamos a construir esse país! A democracia só será verdadeira quando todas e todos puderem participar!”

“Na América do Sul, o Brasil é o único país que não reconhece esse direito. Paraguai, Colômbia, Bolívia e Peru são exemplos de países que permitem ao imigrante votar em eleições distritais e municipais. No Paraguai o estrangeiro pode, inclusive, votar e ser votado. Chile e Uruguai são exemplos de países que permitem o voto de imigrantes nas eleições presidenciais.” diz Tania Bernuy, peruana, que é do Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante – CDHIC.

Em 2010 foi entregue uma carta e um abaixo-assinado ao Congresso Nacional e à Presidência da República solicitando uma Emenda Constitucional pelo direito ao voto de imigrantes permanentes. Em 2011 durante a Campanha Nacional pelos Direitos Políticos dos Migrantes várias atividades foram realizadas.

O grupo também reivindica uma audiência com o Congresso Nacional e a Presidência da República, após as eleições, para dar continuidade a pauta dos direitos políticos dos imigrantes!

Contatos:

 

Tania Bernuy: (11) 9-8756-2207

Juventude Sem Fronteiras: (11) 9-6980-0592

Participarão do ato:
Articulação Sul-americana Espaço Sem Fronteiras
Associação de Empreendedores Bolivianos da rua Coimbra
Associação de Residentes Bolivianos – ADRB (São Paulo)
Asociación Latino Americana de Arte y Cultura Andina – ALAC
Associação Latinoamericana de Micro, Pequenas e Médias Empresas – ALAMPYME/BR
Associação Salvador Allende
Associação Paulista de Ajuda ao Imigrante – APAI
Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante – CDHIC
Central Única dos Trabalhadores – CUT
Cooperativa dos Empreendedores Bolivianos e Imigrantes em Vestuário e Confecção – COEBIVECO
Centro Pastoral do Migrante – CPM
Comunidade Paraguaia do Bom Retiro
Grupo Chile Lindo
Instituto do Desenvolvimento da Diáspora Africana no Brasil – IDDAB
Juventude Sem Fronteiras – JSF

Fonte: http://www.cdhic.org.br/v01/?p=1439

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/09/2012 em Notícias

 

Dia 24 de setembro, cerimônia de boas-vindas ao cônsul-geral Fukushima

As entidades nipo-brasileiras promovem, no próximo dia 24 de setembro, segunda-feira, a partir das 19h30, a cerimônia de boas-vindas ao novo cônsul-geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukushima.

O evento será realizado no Salão Nobre do Bunkyo, à Rua São Joaquim, 381 – 2º andar – Liberdade – São Paulo – SP.

A taxa de adesão é de R$ 70,00 por pessoa e a confirmação de comparecimento deverá ser feita até o dia 20 (quinta-feira), com a Sra. Regina ou Sr. Hase, pelo tel: (11) 3208-1755, ou email: evento@bunkyo.org.br.

Visita às entidades da comunidade

2_pavilhao_chegadaRecém-chegado a São Paulo para assumir seu posto, vindo da Embaixada da Espanha, onde exercia o posto de ministro, o cônsul-geral Fukushima dedicou o dia 14 de setembro para visitar as instalações referências da comunidade nipo-brasileira em São Paulo.

No período da manhã, esteve no Parque do Ibirapuera para visitar o Pavilhão Japonês e o Memorial em Homenagem aos Imigrantes Pioneiros. No Pavilhão, o cônsul-geral Fukushima, acompanhado pelo vice-cônsul Motohiro Hoshino e assessor consular Kazumi Kawamori, foi recebido por Léo Ota, presidente da Comissão de Administração do Pavilhão Japonês.

5_pavilhao_frenteNa parte da tarde, foi a vez de visitar o bairro da Liberdade. Inicialmente, esteve na sede do Bunkyo onde se encontrou com o presidente Kihatiro Kita e o vice-presidente Jorge Yamashita. Após cerca de 15 minutos, a comitiva foi recebida pelos dirigentes da Comissão de Administração do Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, Dr. Ignácio Moriguti e Lídia Yamashita, respectivamente, presidente e vice-presidente, para conhecer a exposição permanente. Em seguida, a comitiva fez uma visita de cortesia à sede do Kenren – Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil.

Breve currículo do novo cônsul-geral Fukushima

“Preciso, agora, aprender o português”, disse sorrindo, o novo cônsul-geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukushima, em sua conversa com o presidente Kihatiro Kita, ao comentar que “entende mais ou menos o espanhol”.

Um diálogo revelador da carreira diplomática do cônsul-geral Fukushima, 54 anos de idade, com passagens pela embaixada da Argentina, México e Espanha.

7_bunkyo_diretoriaGraduado em Direito pela Universidade de Kyoto em março de 1981, ingresso no Ministério dos Negócios Estrangeiros em abril do mesmo ano. Em janeiro de 1996 passou a ocupar o cargo de 1º Secretário da Embaixada do Japão na Argentina, sendo dois anos depois (janeiro de 1998) promovido ao posto de Conselheiro.

Em agosto de 1998, de volta ao Japão, assumiu o cargo de diretor da Divisão de Prevenção do Terrorismo da Divisão de Proteção dos Japoneses no Exterior do Departamento de Assuntos Consulares e de Migração. Em maio de 2000, passou a diretor da 1ª Divisão da América Latina e Caribe.

Em agosto de 2003, foi ao México para o posto de conselheiro da Embaixada do Japão, sendo promovido, dois anos depois, a ministro.

Em julho de 2006 seguiu para a Europa, como ministro da Embaixada do Japão na Itália, tornando-se dois anos depois (agosto de 2008), diretor-geral adjunto da Assessoria do Ministro e da Europa. E, em setembro de 2010, assumiu o posto de ministro da Embaixada do Japão na Espanha.

Foi nomeado como cônsul-geral do Consulado Geral do Japão em São Paulo em julho de 2012.

Fonte: http://www.bunkyo.bunkyonet.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1502:dia-24-de-setembro-cerimonia-de-boas-vindas-ao-consul-geral-fukushima&catid=90:noticias-2012&Itemid=122&lang=br

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19/09/2012 em Japoneses, Notícias